Gustavo Speridião, ‘Se fosse bom não chamava trabalho’, 2015, Anita Schwartz Galeria de Arte