Ivan Grilo, ‘Todos desapareceram, ninguém deixou de existir [everybody disappeared, no one ceased to exist]’, 2017, Casa Triângulo